Como lucrar no YouTube sem investir dinheiro

Dá para viver só de YouTube? O empreendedor digital Maicon Rissi, autor do livro “Negócios Digitais”, garante que sim. E sem precisar “colocar” dinheiro na rede.

Maicon Rissi palestrando na Afiliados Brasil 2019

Como lucrar no YouTube sem investir dinheiro

“Trabalho com internet desde 2011 e hoje vivo somente dos meus ganhos online. Com isso, conquistei três liberdades: financeira, geográfica e de tempo”.

Este foi o assunto da palestra “Como lucrar no YouTube sem investir dinheiro”, durante a Afiliados 2019. “Ainda este ano, 80% do tráfego online será composto de vídeos. Então, se você não está fazendo vídeos, está perdendo dinheiro”, enfatiza o “guru” do marketing digital.

Para quem sente tremor na espinha só de se imaginar aparecendo em um vídeo e dizendo “Olá, galera”, ele garante que não é necessário colocar a cara a tapa para chamar a atenção e viralizar. Basta, por exemplo, usar outras ferramentas, como animações e tutoriais. “Às vezes mostrar a tela do seu computador ensinando alguma coisa já é suficiente”, exemplifica.

Mas, se você já vem se aventurando, porém, sem sucesso, Maicon tem dicas preciosas que já foram testadas em seus canais. “O meu canal, com pequenos ajustes, foi crescendo de seguidores excepcionalmente”, conta.

Uma das recomendações para os marinheiros de primeira viagem é utilizar a ferramenta Lumen5 de produção de vídeos, que está entre os editores de vídeo mais queridinhos dos videomakers de redes sociais no momento. O Lumen5 cria aqueles vídeos estilo slideshow, com uma imagem e um texto junto para ilustrar. Basta colar a URL de um texto do seu blog ou colar diretamente o texto que desejar.

Como grande apaixonado pela produção de vídeos, Maicon garante que, por meio deles, é possível atingir as três etapas que levam o consumidor ao ato de compra: tráfego, produto e persuasão.

Mapa da Empatia

Maicon Rossi é adepto do Mapa da Empatia na hora de planejar os conteúdos, que implica em materializar em um personagem o perfil do seu consumidor. Para traçar este perfil, é necessário responder às seguintes perguntas:

1 – O que ele vê?
2- O que ele pensa?
3- O que ele ouve?
4- O que ele fala?
5- O que ele faz?
6- Quais são as dores dele?
7- Quais as necessidades e desejos?

Depois de definido o conteúdo, você ainda pode lançar mão de artimanhas para ser encontrado na rede mundial de vídeos, como utilizar palavras-chave de seus concorrentes, por exemplo. Entre os assuntos mais acessados, o especialista recomenda “Ensinar como”, “Tirar dúvidas”, “Entretenimento” e “Inspiracional”.

Além disso, os vídeos de sucesso sempre utilizam uma imagem poderosa para chamar a atenção (thumb) e têm um título que gera curiosidade. Não se esqueça também de criar estratégias que façam com que os espectadores curtam o vídeo, compartilhem, comentem e fiquem até o final. Tudo isso vai aumentando o ranqueamento do material dentro da rede. “Quando o YouTube começa a perceber que as pessoas estão interagindo com um certo vídeo, ele vai recomendá-lo.”

Mas, quanto tempo deve ter meu vídeo? “Não existe vídeo longo, existe vídeo chato, afinal, as pessoas assistem a filmes de três horas quando acham interessante”, compara. Para não cair na chatice, lembre-se de que o vídeo deve quebrar o padrão, ser divertido, ter um bom áudio e uma boa imagem. “Não adianta o conteúdo ser bacana e a pessoa não conseguir ouvir direito, ela vai mudar para outro em alguns segundos”, alerta.

O conteúdo precisa trazer uma resposta rápida para o problema destacado. Uma ótima artimanha é fazer outras pessoas falarem do seu produto, a chamada “prova social”, ou seja, uma prova de que aquele produto ou serviço já deu certo para outras pessoas. Storytelling sempre é bem-sucedido, porque conecta as pessoas e também assuntos simples do cotidiano.

Outra estratégia usada por Maicon diz respeito à localidade. Ele costuma situar o assunto, já que, pela sua experiência, o consumidor busca por soluções dentro da sua cidade. Por exemplo: “Qual o melhor personal trainer de São Paulo?”. “Então criar vídeos com este tipo de pesquisa sempre dá certo”.

Outras fontes de conteúdo são as notícias: “A programação é uma excelente maneira de ganhar dinheiro, veja o que está passando e crie algum conteúdo com o título daquela reportagem, colocando no YouTube”. E uma última lição: “As viralizações ocorrem nas primeiras 24 horas, então, quando postar um vídeo, compartilhe com o máximo de pessoas que puder avisando que ele está no ar”.

E NUNCA COMPRE LIKES, O CRESCIMENTO DEVE SER ORGÂNICO!